24/05/2021 09h30

Trabalho custeado por doações avança na comunidade indígena do Fontoura.

Batizado em 2006, o índio Juraci Bituare por 40 anos aprendeu ser obreiro bíblico nativo com seu avô.

À época o pastor distrital era Caleb Pinho, também avô da cantora Rafaela Pinho, um dos pioneiros da história adventista na Ilha do Bananal.

A Igreja Adventista na região Centro Oeste do Brasil abriu um Instituto de Missões em São Félix do Xingu (TO).

Enquanto Bituare era entrevistado, o IDE-GO News baixava fotos inéditas como do Clube de Desbravadores da Aldeia Fontoura

Jael Eneas, Assessoria de Comunicação.

IDE-GO capta doações

O obreiro nativo Bituare é mantido por doações IDE-GO. Viúvo recente, quatro dos filhos mais velhos fizeram homenagem à mãe vestidos de camisetas especiais.

Na rotina de estudar a Bíblia e pregar em aldeias vizinhas uma das filhas de Bituare participa cantando em língua nativa.

A entrevista é marcada por interessantes lances históricos.

IDE GO News – Fale da história e seu trabalho na aldeia como obreiro bíblico?

Juraci Bituare – Estou feliz por falar do meu trabalho como obreiro bíblico. Meu vô já era obreiro no tempo do pastor Caleb, avô da Rafaela Pinho, no tempo da Missão aqui na sede Aldeia Fontoura. Meu vô trabalhou por 40 anos como obreiro bíblico e me ensinou muitas coisas boas como, andar nos caminhos de Deus e a viver a vida como um cristão. Eu sempre acompanhava o trabalho dele como neto. Era como um pai pra mim, pois me criou desde pequeno, falecendo em 2015. Foi muito triste porque era um dos líderes, muito respeitado dentro da aldeia. Era conhecido como pastor. Pregou em várias aldeias até aldeia do Javaé, de outras etnias. Andava de bicicleta, a pé pregando o evangelho.

Fiquei muito sozinho após seu falecimento, mas lembrava de seus ensinamentos de confiar em Deus, não desanimar e não desistir do trabalho. Continuei o trabalho voluntário como diretor do clube dos desbravadores da igreja por dez anos. Em 2019 a missão Tocantins e o Ide-go me chamaram para trabalhar como obreiro na obra evangelística e foi um ano muito difícil pra mim, pois perdi minha esposa, minha companheira de trabalho. Viajávamos a várias cidades juntamente com o clube dos desbravadores.

Confesso que após sua morte, eu baqueei. Como ser humano que sou, questionei por sua perda, pois trabalhávamos juntos. Criamos nossos cinco filhos nos caminhos de Deus. Graças a Deus e a minha esposa, meus meninos pregam e fazem parte da direção da igreja.

Hoje já superei essa perda, essa dor, esse sofrimento.

Naquele mesmo ano, com ajuda dos irmãos aqui da aldeia, trabalhamos e 33 pessoas desceram as águas batismais. Mesmo com o sofrimento da perda da minha companheira e esposa, senti que fomos provados para reafirmarmos nossa confiança e nossa fé nEle, que é um Deus poderoso e de milagres, comecei a trabalhar de novo.

Hoje, com ajuda dos meus meninos, temos música na igreja, temos coral, clube dos desbravadores… resultado do nosso trabalho aqui como obreiro. Trabalho de terça a sexta-feira com estudos bíblicos e visitações. No sábado vamos à igreja e no domingo trabalhamos com o clube dos desbravadores. Na segunda-feira é minha folga.

Percebo que existem muitas pessoas que precisam conhecer a palavra de Deus. Isso me motiva, pois estamos vivendo o tempo do fim e as profecias estão se cumprindo. Eu fico muito feliz por fazer esse trabalho dentro das nossas aldeias.

O índio Bituare com sua filha mais nova

IDE GO News – Quando você se batizou?

Juraci Bituare – Fui batizado em 2006 pelo pastor Makson no distrito Ilha do Bananal. de lá para cá fiquei ajudando meu avô que era obreiro na época.

IDE GO News – Você pode contar uma história de seu evangelismo?

Juraci Bituare – Em 2018, teve o Ano de Missão aqui na aldeia e trabalhamos juntos visitando, dando estudos bíblicos.

Davi era alcoólatra, fumava e cheirava maconha. Era uma pessoa terrível e as pessoas tinham medo dele dentro da aldeia e ao contrário, ele tinha muito respeito por mim. Sempre que passava por mim, parava e dizia: “Um dia eu vou conseguir deixar o álcool, deixar tudo e vou te ajudar. Só quero que você ore por mim.” Assim se repetia todas as vezes que passava por mim. Até que um dia ao passar por ele percebi que estava sadio, não havia bebido nada aquele dia e me pediu uma bíblia. Ninguém acreditava que um dia ele se converteria, parasse de beber, de fumar e usar drogas. Então falei com o pessoal que estava trabalhando aqui comigo na missão e começaram a dar estudos bíblicos para ele. Após terminar o estudo bíblico ficou com medo do batismo, pois entendeu que ao se batizar precisava deixar tudo para trás, deixar tudo. Aprendeu dentro da bíblia o que era respeito. Começou a estudar mais a bíblia, a se aprofundar mais nos estudos até que foi batizado depois que o pessoal do Ano de Missão já tinham ido embora.

Então comecei a ensiná-lo como ser um líder, como liderar a igreja a partir da experiência vivida com meu avô. Sempre que possível ia até minha casa e tirava suas dúvidas e o Espírito Santo foi trabalhando com ele. Ninguém acreditava que ele se tornaria um líder da igreja.

Hoje, Davi faz parte da liderança da igreja como vice-diretor da Missão Caleb e um dos líderes mais fortes aqui na aldeia. Trabalha junto comigo dando estudos bíblicos e conta seu testemunho. Tornou-se uma pessoa muito conhecida e respeitada através de sua história.

Até pra mim tem sido um forte testemunho de alguém que vivia para o mundo e agora vive para Cristo. Ele sempre cita a história de Saulo que se tornou Paulo, assim como ele que se transformou numa nova pessoa por intermédio do espírito santo.

IDE GO News – Diante de desafios deixe suas últimas palavras.

Juraci Bituare – Só gostaria de agradecer a todos que trabalham com Ide-go e a Missão Tocantins que me convidou, que confiou no meu trabalho. Peço que orem por mim, por minha família, pois não é fácil viver sozinho educando meus cinco filhos, sem esposa. Oro muito a Deus para que eu continue esse trabalho que sempre foi o meu sonho trabalhar na obra de Deus.

Já deixei alguns cargos, como no IBAMA que trabalhei por cinco anos com salário alto de servidor público. Deixei porque admirava muito o trabalho do meu avô que trabalhou na obra. Eu acredito que Deus sempre abençoa as pessoas que confiam nEle, que obedecem seus mandamentos e não confiam em seres humanos. Deus é tudo na minha vida. Amém e muito obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *