Projeto Levanta Moçambique

E o trabalho continua, mas antes quero falar um pouco do contexto Islâmico ao qual nos encontramos. A IASD na Província do Niassa tem mais de 50 anos; possui uma igre- ja com sede própria na cidade de Lichinga com a media de 30 a 40 pessoas que assistem a igreja todos os Sábados e um pequeno grupo com sede própria no povoado de Mandimba. A cidade de Lichinga é a capital da Província e possui mais de 200.000 habitantes. Se perce- bermos, os dados são baixos para nós como igreja. Esses baixos índices se dão à grande quantidade de muçulmanos na Província. É considerada por nossa Missão Norte como a região menos desenvolvida no adventismo e mais dura para a recepção do evangelho cris- tão. Menciono a vocês um caso interessante:

A pedido da família, foi-me solicitado fazer o funeral de um de seus membros. Che- gando lá me deparei com líderes muçulmanos que estavam ali, convidados por outros famili- ares. Tomando conhecimento da minha presen- ça, fui quase expulso de dentro da casa. Ten- tei de todas as formas amigáveis participar do funeral, pelo menos com uma oração. Mas os líderes concluíram dizendo que não se mistu- ram com cristãos e se fosse para eu participar eles iriam se retirar.

Então educadamente fiquei apenas olhando. Conclusão: são duros mesmos. Quando nossos obreiros batem às portas das casas e os moradores percebem que se trata de cris- tãos, eles quase expulsam nossos obreiros. Percebe-se que os membros são orientados na sinagoga a procederem desta forma.